Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘música’

Assim, como quem não quer nada, e pelos motivos que me ocorrem silenciosos, resolvi começar novamente a colecionar versões da música Round Here, do Counting Crows. Para quem não sabe, a banda de Adam Duritz costumava alterar um bocado as letras de suas músicas nas apresentações ao vivo. Round Here era uma das músicas que mais mudavam de show para show. Tanto, que por vezes era até dificil reconhecer a música, embora se você prestasse atenção haviam sempre alguns versos velhos conhecidos que estavam lá. Ainda assim, cada versão era quase uma nova música, e um testemuho do momento emocional do vocalista.

Houve um tempo que eu catalogava versões de Round Here do Counting Crows.

E agora deu vontade de começar a colecionar de novo.

E lá vamos nós…

Versão original (de estúdio)

Pinkpop 1997:

Pinkpop 2008

Versão do DVD August and Everything After (agosto 2011)

Versão Howard Stern Show

Uma versão acústica

.
.
.
.
E segue a busca por todas as mais de 60 versões de Round Here. Criei uma playlist no meu youtube para agrupá-las, aqui.

 

Update. depois de ouvir mais de 20 versões diferentes, por fim encontrei a minha predileta — a primeira versão que ouvi, há mais de 10 anos. Fazia tanto sentido para mim naquela época…

Pinkpop 2000

Anúncios

Read Full Post »

– Você pode ouvir a música?

Eu estava tomado demais pelos meus sentimentos e preocupações e idéias para entender o que ele queria dizer. O máximo que pude fazer foi olhar em seus olhos feéricos, alienígenas, que expressavam algo próximo de uma perplexidade divertida. Pensei em tentar explicar de novo, mas desisti da idéia de que ele entenderia sentimentos humanos.

– Você pode ouvir a música?

– “Eu acho que sim.”, respondi sem saber ao certo se era verdade. E então, no silêncio posterior, comecei a entender e ouvir a música…

– Então dance.

Fez sentido.

p.s. “now… who’s the faerie, you blind man?”

Read Full Post »

Sonhei que nem todo o tempo do mundo é suficente para que partilhemos as palavras, imagens, referências e fragmentos da divindade que colhemos ao longo da vida e que nos fazem sonhar…

Fiquei com vontade de partilhar ao menos algumas músicas, alguns vídeos do Enigma, que me fizeram e fazem sonhar. Assistam se assim lhes aprouver.

Enigma – Beyond the Invisible: http://www.youtube.com/watch?v=idZ0qgGZpb0
Enigma – Gravity of Love: http://www.youtube.com/watch?v=aSTV99Uy8hk
Enigma – Return to Innocence: http://www.youtube.com/watch?v=Rk_sAHh9s08
Enigma – Why: http://www.youtube.com/watch?v=A_hp2ubJaNo
Enigma – Silent Warrior: http://www.youtube.com/watch?v=RB_qsKGjTrg
Enigma – Between Mind and Heart: http://www.youtube.com/watch?v=o3JjjSuwEpg
Enigma – Out of the Deep: http://www.youtube.com/watch?v=qfTEusEJ93A
Enigma – Age of Loneliness: http://www.youtube.com/watch?v=APW_QwzGg2o
Enigma – T.N.T. for the Brain: http://www.youtube.com/watch?v=_JrklveW64U
Enigma – Child in Us: http://www.youtube.com/watch?v=D-jk-iovNNI

Em nenhuma ordem em particular…
Pois o caos tem suas próprias configurações, que deixariam boquiabertos aqueles que são viciados pela ordem.

E agora eu posso voltar a dormir e sonhar tranquilamente.

Read Full Post »

[…] O meu amor ficou na sua bolsa, ouça…

Ela levou e virou madrugada, ladra…

Alguns mistérios se resolvem quando escurece.
Algumas portas se abrem quando se desiste de abrí-las.
Alguns grilhões se soltam quando paramos de tentar fugir.
A saída e a entrada são a mesma porta,
só muda o movimento.

O que faz sentido nem sempre é o que é.
E o que é nem sempre faz sentido.

Existe um mistério e um encanto nas contradições que se combinam
e nos caminhos tortuosos que nos levam
aonde tem que ir.

(as coisas) são como são. São como somos. Como temos que ser…

Read Full Post »

Kiaulles

Ainda era outubro de ano passado quando a @Yaso me falou pela primeira vez deles. Achei interessante a idéia de ajudar o pessoal do Kiaulles com a divulgação na rede. A idéia ficou guardada no armário no meio das tempestades que se seguiram e, agora que retorna a calmaria e os céus bonitos, resolvemos retomar a proposta.

Hoje conversei com o @Caetanorojas (do Kiaulles, que quer dizer “Músicos” em Gaélico escocês) e com a @Yaso durante o almoço aqui no Sebinho, e imediatamente surgiram dezenas de idéias de colaboração, divulgação, música e festejo. Acho que esta será uma parceria que vai nos trazer grandes alegrias, até porque…

Os Kiaulles são ducaralho!

Rouges of Scotland, pelos Kiaulles no Mittelalter (Brasília)

The Hook, de J.J.Milteau, pelo Kiaulles (Caetano Rojas, Luiz Duarte e Leonardo Kraus), no Clube do Choro de Brasília.

Mais sobre eles, em breve.

~

Em tempo… toda essa música, e o retorno aos escritos, e toda as outras pequenas e grandes coisas que vem acontecendo em minha vida estão finalmente me “trazendo de volta”. Há muito tempo não me sentia tão bem.

Que siga a festa.

Read Full Post »

Agora começo a entender por quê parei instintivamente de ouvir há tantos anos músicas que costumava escutar quase o tempo todo naqueles dias hoje tão passados. Para poder escutá-las de novo hoje em dia e ter preservado nelas, intacto, o sentimento de ser quem fui naqueles dias…

Sioxsie Sioux e seus Banshees guardam, sem saber, a minha memória de quem eu fui há 10 anos…

“You buried it so deep
So safe in hidden sleep
But like a tell-tale corpse
Rises to the surface
Over-ripe and bloated
In naked time-lapsed truth
Thought it was lost forever
Remember this

How long has it been
Or have you forgotten
When you first forgot?
Now resurrection the phoenix
Aflame with pride and conceit
Remembers this…”

Read Full Post »

Cut Here – The Cure

“So we meet again!” and I offer my hand
All dry and English slow
And you look at me and I understand
Yeah it’s a look I used to know
“Three long years… and your favourite man…
Is that any way to say hello?”
And you hold me… like you’ll never let me go

“Oh c’mon and have a drink with me
Sit down and talk a while…”
“Oh I wish I could… and I will!
But now I just don’t have the time…”
And over my shoulder as I walk away
I see you give that look goodbye…
I still see that look in your eye…

So dizzy Mr. Busy – Too much rush to talk to Billy
All the silly frilly things have to first get done
In a minute – sometime soon – maybe next time – make it June
Until later… doesn’t always come

It’s so hard to think “It ends sometime
And this could be the last
I should really hear you sing again
And I should really watch you dance”
Because it’s hard to think
“I’ll never get another chance
To hold you… to hold you… “

But chilly Mr. Dilly – Too much rush to talk to Billy
All the tizzy fizzy idiot things must get done
In a second – just hang on – all in good time – wont be long
Until later…

I should’ve stopped to think – I should’ve made the time
I could’ve had that drink – I could’ve talked a while
I would’ve done it right – I would’ve moved us on
But I didn’t – now it’s all too late
It’s over… over
And you’re gone..

I miss you I miss you I miss you
I miss you I miss you I miss you so much

But how many times can I walk away and wish “If only…”
But how many times can I talk this way and wish “If only…”
Keep on making the same mistake
Keep on aching the same heartbreak
I wish “If only…”

But “If only….”
Is a wish too late…

Esta é para quem foi embora para nunca mais voltar.

A gente sempre acha, mesmo que finja que não, que poderia ter feito alguma coisa para fazer tudo ser diferente. “Eu poderia ter procurado ele mais vezes”, “poderia ter percebido que seu coração estava partido”… “poderia até ter adivinhado, afinal de contas eu não advinho as coisas?”.

Tudo tolice. A vida é como é, e as pessoas seguem pelos caminhos que seguem.
É claro que tudo poderia ter sido diferente, mas as coisas foram como foram.
Resta-nos seguir em frente…
Os que foram, e os que continuam aqui.

Vai em paz, meu amigo.


P.S. Adivinhação mórbida ou coincidência, coloquei esta música, que andava quase esquecida, nos meus vídeos preferidos do Orkut no mesmo dia em que dizem que ele decidiu ir embora…

Read Full Post »

Older Posts »